Apresentação

  • Sobre o Parque Natural da Ria Formosa qualquer descrição telegráfica cingir-se-ia a: 2 penínsulas, 5 ilhas, 6 barras, sapal e um cheiro a maresia. De um lado, o mar, do outro, antes de terra, a ria. Situada no sotavento algarvio entre as penínsulas arenosas do Ancão e da Manta Rota a Ria Formosa, onde a área do Parque natural ocupa 18.000 ha, é a mais importante zona húmida do sul de Portugal. Está separada do mar por um cordão de ilhas-barreira e alimentada em água doce por pequenos cursos de água com regime sazonal. Diversos habitats - dunas, sapais, vasas, áreas de pinhal e zonas agrícolas - completam o conjunto. Importante área em termos de avifauna e variada fauna marinha, funcionando a zona lagunar como viveiro para algumas espécies marinhas.

    Esta área protegida é palco de múltiplas atividades - cultura de bivalves, piscicultura, salicultura… - e objeto de intensa visitação ou não estivéssemos no coração do Algarve turístico. Cacela-a-Velha com o seu forte setecentista, Olhão cubista ou Tavira dos telhados de tesoura atravessada pelo Gilão / Séqua vivem paredes meias com a agitação turística característica do Algarve.

  • Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, I.P. (ICNF, I.P.)

  • Estuários e lagoas costeiras

  • Algarve

  • Faro

    Loulé

    Olhão

    Tavira

    Vila Real de Santo António

  • Acesso a partir de:

    - Faro -  aceder às ilhas barreira utilizando as carreiras de barco que saem do Cais das Portas do Mar dependendo da época do ano. (Consultar horários)

    -  Faro - aceder à praia de Faro, seguindo pelo IC4/N125, e depois pela N125-10, na direção do aeroporto de Faro, na rotunda do aeroporto, seguir a indicação Praia de Faro;

    - Olhão - aceda às ilhas barreira utilizando as carreiras de barco que saem do cais de embarque. (Consultar horários

    - Tavira - aceda à ilha de Tavira dirigindo-se ao cais de embarque, onde dispõe de ligações regulares de barco.

  • Sim

  • Recomenda-se que inicie a visita no Centro de Interpretação (Olhão), onde poderá encontrar toda a informação disponível sobre a área.

    Para observar a fauna saia de manhã cedo ou um pouco antes do entardecer. Se tiver, leve binóculos e máquina fotográfica. Tenha sempre em atenção as previsões meteorológicas e evite realizar atividades em dias em que se preveja a ocorrência de chuva, trovoadas e nevoeiros. Evite ir sozinho(a), mas, se o fizer, informe alguém conhecido ou alguma entidade local da sua partida e do seu regresso. Opte por vestuário e calçado simples e confortável. Previna-se com agasalhos, alimentos, água, protetor solar e/ou impermeável. Poderá munir-se também de telemóvel e lanterna (não faça fogo nem deite para o chão beatas acesas). Previna-se com repelente para melgas e mosquitos. Se quiser aproveitar as praias não se esqueça do fato de banho. Tome precauções especiais quando caminha em zonas húmidas e rochosas, para evitar quedas e não pratique atos que coloquem em risco a sua segurança ou a dos outros. Caso ocorra algum acidente ou imprevisto contacte o serviço de emergência 112.

  • O Parque possui sinalética informativa e direcional em toda a sua área.

  • Sim

    Passadiços, rampas e instalação sanitária adaptada, em alguns locais do Parque Natural da Ria Formosa.

  • Sim

    Atividades e visitas escolares mediante marcação prévia.

  • PTCON0013 Ria Formosa / Castro Marim

    PTZPE0017 Ria Formosa

  • Sítio RAMSAR – Zona Húmida de Importância Internacional - Ria Formosa

  • <p>
	Da serra de Montefigo, cujo ponto culminante &eacute; o cerro de S&atilde;o Miguel ou monte Figo com 410 metros de altitude, &eacute; poss&iacute;vel observar boa parte do sotavento algarvio.</p>

    Da serra de Montefigo, cujo ponto culminante é o cerro de São Miguel ou monte Figo com 410 metros de altitude, é possível observar boa parte do sotavento algarvio.

Condições Atmosféricas

Condições Atmosféricas em Parque Natural da Ria Formosa :

O que pode fazer

1. Percorra o trilho da Quinta do Ludo, no início da primavera, e observe a grande diversidade de aves.

2. Observe a flora e vegetação dunar, florida e perfumada nesta época do ano, ao longo do trilho da praia do Barril na Ilha de Tavira.

3. Visite o núcleo histórico de Tavira e o Forte de S. João da Barra em Cabanas.

1. Logo pela manhã, apanhe o barco em Faro até à Ilha da Barreta, faça o percurso da ria e refresque-se na zona da praia.

2. Visite as salinas de Olhão e Tavira, em plena época de produção de sal.

3. Vá até Santa Luzia, povoação piscatória no coração da ria, deguste o prato tradicional de polvo e assista ao entardecer na zona ribeirinha.

1. É a época de observar espécies de avifauna. Faça o percurso das salinas de Santa Luzia e de Tavira e descubra aí inúmeras espécies como pernilongos, alfaiates, maçaricos, pilritos, flamingos e garças.

2. Faça o périplo das ilhas-barreira, Culatra, Armona e Cabanas.

3. Deambule por Cacela-a-Velha, núcleo urbano histórico de origem medieval onde pode saborear os bivalves produzidos na ria.

1. Faça o percurso da Lagoa de S. Lourenço, nesta que é a época ótima para a observação de aves: grandes bandos cruzam os céus e usam o espaço protegido, com destaque para os anatídeos e limícolas.

2. Visite o Centro de Educação Ambiental de Marim, na Quinta de Marim, em Olhão e conheça a diversidade de habitats e de espécies ao longo do trilho pedestre.

3. Parta à descoberta de Olhão, vila cubista. Faça uma visita aos mercados, do peixe e da hortaliça, com a sua arquitetura simples mas de aspeto monumental.

Época aconselhada: Todo o ano

Contatos

PNRF - Parque Natural da Ria Formosa (Sede) 

Centro de Educação Ambiental de Marim - Quelfes

8700-194 OLHÃO

Telefone: (00351) 289 700 210

E-mail: pnrf@icnf.pt

MAPA

; ;